Ainda tem gente que não acredita em vampiros. Somente alguns membros do exército brasileiro e os poucos sobreviventes sabem e temem a capacidade dessas criaturas poderosas. 

Os monstros estão livres e são ambiciosos. Chamam a atenção das vítimas, provocam desejos de vingança enquanto desejam eliminar a vida de quem os perturbaram no passado. Querem travar a grande batalha, e assim desencadearão o caos pelos pontos conhecidos de Osasco e São Paulo, além da cidade vizinha de Amarração no Rio Grande do Sul. 

Sétimo continua a história contada em Os Sete, com o temor do pior dos vampiros enfim desperto. Não só os sobreviventes do primeiro livro retornam nesta história, mas os novos personagens entram no fogo cruzado nesse conflito de terror antigo entre os amaldiçoados do Rio d’Ouro. 

Sétimo - capa

André Vianco retorna ao blog com esta continuação da história. Obteve sucesso como escritor independente quando os editores afirmavam sobre o “fiasco de vender livros de terror escrito por brasileiros”. Desde então agrega mais de quinze livros e obras cinematográficas roteirizadas por ele. 

Já estavam acostumados com as fortes emoções… e com as baixas 

Tiago se vê refém de Sétimo, junto com seu amigo César e a namorada Eliana. Titi tenta escolher a melhor opção para o bem deles sem provocar a ira do poderoso vampiro. Alguns acontecimentos incentivam a tomar alguma decisão, essa sem garantia de sobrevivência. 

Sargento Brites transforma a caçada aos vampiros em obsessão, fica atento a qualquer ocorrência policial incomum, investiga até brigas de bar, pouco importa o motivo desde que as testemunhas mencionem os dentes característicos.

Um jovem bem-sucedido com sua escola de informática vê os noticiários inusitados e faz a comparação das ocorrências com os registros do livro passado entre gerações. Decide retomar o trabalho do ancestral Tobia com o conhecimento assimilado. Precisa se armar com equipamentos modernos, e busca ajuda em meios nada lícitos. 

Já Sétimo pretende criar um império de vampiros. Amaldiçoa humanos e os recruta ao seu exército infernal sem cautela ou escrúpulos, assim como foi há séculos em Portugal. Todos os demais grupos querem subjugá-lo, e ele é capaz de enfrentar cada um. 

A confiança se perdia e se modificava a cada batida do coração  

Esta história extensa distribui conceitos e revelações aproveitados nos capítulos posteriores com desfechos inesperados, mas convenientes por essas justificativas sutis citadas ao longo do livro. 

As decisões dos personagens principais mudam o rumo da história sem perder a lógica. Escolhas têm consequências, provocam outras situações difíceis de lidar, e os personagens mudam suas estratégias que geram resultados diferentes. 

Muito do livro é sobre os diferentes grupos se prepararem ao grande conflito. Acontecimentos inesperados quebram essa monotonia de preparo e exigem adaptação dos seres atingidos pela mudança, porém é muita coincidência os grupos envolvidos quererem aumentar o número de membros e possuir um mentor cada, apesar de demonstrar os motivos em cada equipe. 

Contando com a história anterior, demora cerca de um livro e meio até enfim vislumbrar as capacidades tão temíveis de Sétimo sempre descritas na história. Cheguei a desconfiar da capacidade do antagonista, até ele entrar em ação. Suas habilidades são testadas ao limite na batalha contra os demais grupos, e prova que seu nome não é homônimo do livro à toa.

Explorando características já conhecidas de vampiros e as impostas às criaturas de origem portuguesa, André Vianco manipula um ótimo conflito neste livro ao demonstrar seres poderosos com vulnerabilidades que transformam a história. Difícil prever quem prevalece, é preciso folhear as páginas e descobrir a conclusão deste ciclo protagonizado pelo Sétimo. 

Comentários