Quem não deseja se tornar um herói? Tornar-se protagonista de uma aventura memorável, conquistar o grande prêmio na jornada cheia de desafios, aliados e problemas impossíveis. Tudo pode se perder, inclusive suas esperanças! Mas a perseverança o deixará mais forte, te ressuscitará, e a vitória será saborosa com o prêmio alcançado. 

Por outro lado, pergunto também: quem não é um herói? Cada um de nós passamos por fases, cruzamos mundos desconhecidos, conhecemos novos amigos e devemos superar dificuldades. Existem momentos de derrota, quando precisamos reerguer, abrir mão das fraquezas do passado e renascer para enfim vencer o obstáculo e conquistar o correspondente ao nosso Santo Graal. 

A Jornada do Escritor defende a existência do herói em todas as histórias, sejam elas ficções ou reais. Publicado pela primeira vez em 1992, o livro aborda a análise sobre a Jornada do Herói e discute seus conceitos entre diversos filmes de destaque. 

A Jornada do Escritor - capa

Christopher Vogler é roteirista de filmes e já atuou em grandes produções da Walt Disney, Warner Bros e Fox. 

O que acontece com herói acontece também conosco 

Os materiais principais do livro se dividem em duas partes. A primeira trata dos principais arquétipos de personagens existentes nas histórias. Já a segunda faz uma análise de cada um dos doze estágios da jornada do escritor. 

Christopher vai além de explicar o conceito de cada tipo de personagem. Ele faz comparações de vários filmes e demonstra as diversas funções desempenhadas por tal perfil, e ainda oferece dicas de como misturar arquétipos ou fazer personagens alternarem de tipos durante a jornada. 

O mesmo vale quando trata da jornada em si. Não precisa seguir cada fase da jornada à risca, e Vogler demonstra isso com os exemplos retirados em filmes. De obras com ação, humor, dramática ou romântica, destaca-se em qual cena cada uma delas tem consigo algum aspecto da jornada do herói, sendo a figura heroica o personagem principal com as suas qualidades, defeitos e necessidades a serem satisfeitas através da aventura. 

Por conter análises de cenas dos mais diversos filmes, obviamente há spoilers dessas obras, inclusive de pontos importantes e até do final. Muitos desconsiderarão este problema por ser filmes lançados muitos anos atrás e pelo conhecimento adquirido no livro ao discutir essas cenas. Então caso seja sensível às revelações do enredo, recomendo assistir os filmes a seguir antes da leitura, pois o livro conta toda a história: 

  • O Mágico de Oz; 
  • Os episódios de um a seis de Guerra nas Estrelas; 
  • Titanic; 
  • Pulp Fiction; 
  • Ou Tudo ou Nada; 
  • O Rei Leão. 

OBS: Há muitos outros filmes abordados com uma ou outra cena revelada. Cito apenas os mais expostos. 

Coletar reações, sejam positivas ou negativas, faz parte 

Fora os materiais principais, ainda há muito conteúdo referente a experiência do autor com a sua profissão. Esse conteúdo extrapola o escopo do livro e expõe os trabalhos feitos por Christopher em vez do assunto do livro em si.  

Eu adquiri o exemplar com a expectativa de ter quase quinhentas páginas de análise sobre a jornada do herói e materiais capazes de me aperfeiçoar na construção de enredo e escrita, mas uma parte do conteúdo foi sobre o currículo do autor. Peguei a terceira edição do livro publicada em 2007 e traduzida em 2015, e sugeriria cortar esse conteúdo destoante, pois serviria melhor como conteúdo de blog e mídias sociais, caso faça uma nova edição. 

Prefácio é outra parte problemática. Com introduções da segunda e terceira edições dispostas na íntegra, tornam-se um texto longo de apresentação antes de chegar no material do livro. Muito deste texto são justificativas da relevância da Jornada do Herói e a sua presença em várias histórias, ou seja, vende-se a proposta já comprada pelo leitor, pois já está com o livro em mãos. Desnecessário defender a sua ideia quando se pode conferir as informações no próprio livro e tirar as próprias conclusões. 

A Jornada do Escritor tem excelente conteúdo referente a proposta do livro. Escritores, contadores de história no geral e até espectadores aprendem com as análises feita através de filmes para sustentar seu argumento. Entretanto o livro peca no excesso de assuntos em que alguns fogem da proposta do livro, embora fale da experiência profissional do roteirista. 

Comentários