Eu não devo explicações sobre os livros escolhidos por mim, no entanto acredito valer a pena explicar este caso. Por que eu, um homem e aspirante a escritor de aventura fantástica, decidiria ler este romance feminino sobre a amizade de duas amigas? 

Quanto mais se consome literatura, mais estarei preparado a desenvolver minha escrita. Além dos livros do gênero que pretendo trabalhar, outras obras ímpares ajudam com desenvolvimentos específicos, técnicas de escrita, ou ter uma visão mais ampla na hora de compor seu próprio personagem. Um livro feminino me ajuda a entender e usar como referência quando eu elaborar minhas personagens mulheres. E o livro deste post me ajudou além disso. 

A Amiga Genial trata da amizade de Elena Greco e Raffaella Cerullo. Publicado em 2011, é o primeiro romance de uma série de quatro livros. 

A Amiga Genial - capa

Elena Ferrante é o pseudônimo da autora. Ela prefere não ser identificada, pois acredita haver interferência na recepção de seus livros se correspondessem à pessoa quem escreveu. 

Nosso mundo era assim, cheio de palavras que matavam 

Após algumas discussões com o filho de Lila (Rafaella) sobre o desaparecimento de sua mãe, Elena decide escrever a sua história com esta amiga, narrando desde a sua infância, quando a conheceu na década de 1950. 

A família de Raffaella se muda para o bairro onde Elena mora, em Nápoles. A nova garota chama a atenção de todos pela teimosia, mas também demonstra outros talentos na escola. Sua performance supera a de Elena (conforme a narradora sempre afirma), que era a melhor aluna da turma. 

O livro conta até a adolescência das amigas. Acompanhamos o crescimento dos demais personagens, a maioria de idade próxima, além de conhecermos um pouco de cada família. A rotina dos personagens sofre influência da época da história, da Itália após a segunda guerra mundial. Além da intolerância aos comunistas, o comércio se modifica com o avanço das fábricas e o trabalho artesanal deixa de suprir a demanda vigente. 

Os sonhos da cabeça foram parar debaixo dos pés  

A princípio presumi Lila como a protagonista da história, e Elena faria o papel de narradora, tal como o Dr. Watson em Sherlock Holmes. Esta impressão se dá por Elena sempre se comparar a amiga, e toma decisões a partir do que pensa dela. Esta preocupação leva a atitudes preocupantes a Lila, pois deixa de reconhecer Elena. 

De leitura fácil e agradável, o livro contém capítulos nada longos. Difícil se perder nos acontecimentos retomados com frequência, embora não diga o mesmo aos personagens. A quantidade desses dificulta lembrar de todos, exceto os constantes na história. 

Sem se incomodar com a intimidade, Elena conta das ações e pensamentos ousados nas cenas presentes. Revela o ponto de vista sincero e sujo sobre as relações íntimas, normalmente vistas de forma positiva. 

A Amiga Genial é um exercício de empatia aos leitores masculinos com sua história focada nas duas amigas próximas que Greco tanto revela em detalhes pessoais e íntimos. 

Comentários