Tag: experiencia

Romancista Como Vocação (Haruki Murakami)

Quando o autor idoso possui mais da metade do tempo de vida de carreira na escrita, ele deve possuir algum conhecimento literário. Sarcasmo à parte, toda a trajetória de vida vira fonte de aprendizado quando o escritor decide contar a própria vida, das maneiras e dificuldades encontradas ao insistir em contar histórias. Conhecer as variadas técnicas de escrita criativa é importante, apesar da literatura também ser produzida a partir da experiência, e vale a pena ao menos conferir o trabalho do autor disposto a compartilhá-la.

Romancista Como Vocação é a autobiografia de Haruki Murakami, o autor disposto a compartilhar o pouco que aprendeu na vida. Publicado em 2015 e trazido em 2017 no Brasil através da editora Alfaguara ― Grupo Companhia das Letras ― sob a tradução de Eunice Suenaga, a escrita fluida de Murakami persiste nas breves passagens de aprendizado.

“Mas por que um escritor tem que ser um artista? Quando isso foi decidido, e por quem? Ninguém decidiu isso”

Cada capítulo consiste em perguntas feitas a ele ao longo da vida, algumas o autor revela sentir intimidado pela incapacidade de respondê-las em poucas palavras. Por mais simples seja a pergunta, ele considera toda a experiência ao responder, precisando de palavras o suficiente a escrever este livro. Combina as respostas práticas com aspectos de sua vida, fala desde o trabalho como dono de clube de jazz à premiação a garantir o primeiro livro publicado, até a carreira internacional a partir das publicações feitas nos Estados Unidos. No meio de toda essa jornada, tem lições a novos escritores sobre as possibilidades de criar histórias e desenvolver a carreira literária.

“Essa é minha opinião, mas isso não muda muita coisa”

Toda declaração presente em Romancista Como Vocação é de cunho pessoal, e Murakami faz questão de afirmar e relembrar disso. O leitor tem a oportunidade de conhecer detalhes pessoais do autor, um resumo da trajetória após garantir várias publicações de sucessos comerciais. Garantiu poucos prêmios, e ele comenta sobre o assunto em determinado capítulo, dá opiniões sinceras sobre as premiações, tudo condizente com as declarações dos demais capítulos, ou seja, passam longe de serem desculpas por deixar de vencer os concursos ― inclusive o prêmio Nobel de Literatura.

Apesar dos fãs de Murakami ainda poderem aproveitar este livro, o conteúdo é dedicado a autores e aspirantes, afinal o foco é óbvio. Só deixa de ser tão claro a utilidade das dicas passadas pelo autor japonês. Os escritores precisam estar dispostos a acompanhar as maneiras encontradas pelo autor de seguir na carreira e avaliar quais delas seriam viáveis na própria rotina. Murakami é restrito quanto as dicas, compartilhando as bem sucedidas para ele, e é honesto ao confessar a inviabilidade de servir a quem ler, inclusive faz comparações a comportamentos dos demais autores japoneses e revela a diferença dele com a maioria. Lembrando da nacionalidade dele, Murakami fez carreira nos aspectos do mercado editorial no Japão ou até em fatores sociais — entre eles o sistema educacional da época —, inclusive lembra o leitor da situação política do país durante sua vida, do Japão em crise após a Segunda Guerra Mundial. Mesmo quando começou a publicar nos Estados Unidos teve de adaptar a forma de trabalhar por ser japonês, então cabe ao leitor fazer o mesmo, conferir as dicas e verificar a possibilidade de ajustar a própria realidade, isso caso a dica funcione.

Romancista Como Vocação é um resumo da vida do autor. O conteúdo também convida aos escritores encontrarem os meios de produzir literatura a partir da reflexão das dicas oferecidas por Murakami. São ensinamentos prático e rasos, há livros sobre escrita de melhor conteúdo, escrito por profissionais com experiência em formar escritores, entre eles o trabalho da Francine Prose, enquanto este é limitado a dicas pontuais e ainda incertos da utilidade; ao menos o autor é honesto em afirmar isso.

“Eu já havia me tornado romancista; e a vida é uma só”

Romancista Como Vocação - capaAutor: Haruki Murakami
Tradutora: Eunice Suenaga
Ano da Publicação Original: 2015
Editora: Alfaguara ― Grupo Companhia das Letras
Edição: 2017
Gênero: Não ficção / autobiografia / escrita
Quantidade de Páginas: 168

Compre o livro

Como Estudar a Escrita Criativa

Quando comecei o XP Literário, tinha apenas publicações no Wattpad cujo resultado já comentei em outro artigo, fora isso tentei um concurso e ganhei somente experiência — longe de ver fracasso, já valeu por participar e ter esta iniciativa —, além de submeter um romance a análise crítica a qual descreveu os pontos necessários onde eu precisava melhorar. Em suma tive respostas negativas enquanto persistia e continuava a estudar escrita criativa.

Já neste ano a resiliência passou a valer a pena. Consegui minha primeira publicação comercial na segunda edição da Revista A Taverna e logo terei outro conto publicado também na antologia Creepypastas 2, esta em versão física pela editora Lendari! Submeti outro conto a mais um concurso e ainda aguardo o resultado.

Essas conquistas recentes não foram exclusivas de sorte, e sim fruto da minha dedicação em melhorar a escrita e construção de histórias. Nenhum romance escrito por mim foi publicado, e tenho o otimismo de colocar um “ainda” no final dessa frase. Aprendi e continuo aprendendo de diversas formas, aplicando esse conhecimento em cada tentativa de escrita. E agora compartilho quais são essas maneiras de saber mais sobre a escrita.

Pelas críticas

Como já disse, submeti meu primeiro romance a análise crítica e tive vários apontamentos e sugestões de melhorias. O foco desta análise é de fato identificar as falhas no texto apresentado, feito com a intenção de aprimorar a escrita. Este tipo de serviço serve apenas a autores com condições de abrir mão do ego, e sendo bem honesto, quem tem ego sofrerá muito pela dificuldade de lidar com as críticas. Quando o livro for publicado, estará disponível a todo tipo de leitor, com direito a dar todo tipo de crítica, é preciso respeitar todas elas — e também ignorar as feitas sob nenhum argumento senão o de menosprezar o trabalho alheio.

Voltando ao meu caso, eu tive dificuldade ao aproveitar melhor essa crítica. Aceitei e agradeci por todos os apontamentos, tirei algumas dúvidas com a avaliadora e ela respondeu de boa vontade. O problema foi a minha falta de preparo conceitual ao recebê-la. Pensei ter entendido na hora, mas se fosse hoje eu passaria vergonha de receber um feedback feito aquele. Cometi muitos erros de quem sabia pouco da escrita criativa, e só tive a verdadeira noção desses deslizes depois de estudar mais. Agradeço muito pela paciência e carinho da avaliadora ao analisar meu texto, e apesar de ser pouco eficiente devido a minha limitação, fez parte dessa trajetória de erro e aprendizado.

Aconselho a procurar este tipo de serviço caso tenha condições de pagá-lo, por outro lado também sugiro saber muito bem os conceitos da estruturação do romance e da escrita criativa, assim poderá aproveitar melhor os apontamentos. Também é ótimo exercício de lidar com as críticas, pois a análise fica restrita ao autor e avaliador, podendo se preparar quando receber algo negativo em público. Não importa o quão bom seja o autor, alguém com certeza achará algum ponto ruim e terá razão nele, pois nenhum escritor é perfeito. Caso falte dinheiro e queira estudar escrita criativa sem gastar dinheiro, aproveite o próximo tópico!

Sites gratuitos

Alguns autores exercem certos tipos de trabalho com intenção de conquistar reconhecimento ao público a ponto de convencê-lo a adquirir seu livro ou serviços, dentre esses trabalhos existe o de disponibilizar conteúdo gratuito em sites! Seja uma amostra da matéria presente no curso dele, discussão de ideias defendidas entre autores diferentes ou listas sobre lições compartilhadas pelo autor ou de quem ele admira; há muitas formas de compartilhar informação. Podemos estudar escrita criativa nessas breves postagens com o custo apenas de nosso acesso a internet, também teremos noção do que cada responsável pelo conteúdo pode nos ensinar quando tivermos condições de pagar pelo curso ou livro vendido por ele.

O problema deste recurso é o conteúdo estar muito fragmentado em diversas postagens. Os criadores de conteúdo o fazem desta forma para manter o site deles atrativo nas redes sociais e no ranking dos buscadores de sites — tipo o Google —, inclusive eu mantenho este blog com novas postagens em cada semana pelo mesmo motivo. Mesmo ao tentar reunir esses fragmentos com intuito de “montar” o conteúdo completo, perceberá furos entre os artigos, pois cada um é escrito voltado ao tópico ou sub-tema específico, nenhum deles têm obrigação de interligar tudo, fazer assim gera muito trabalho e planejamento, algo que os produtores desempenham na criação do curso ou livro a vender através dos artigos gratuitos e das outras estratégias de marketing. Evite culpar o produtor do conteúdo por isso, pois eles apenas seguem as condições do mercado atual, e ainda assim pode aproveitar esses textos concisos, então os consuma!

Eu também tenho alguns artigos do tipo, no qual este mesmo faz parte! É só acessar a categoria XP de Escrita — tenho nenhum curso ou livro de escrita à venda no momento, então pode me seguir apenas pelo conteúdo gratuito 🙂

Livros técnicos

Aqui teremos a abordagem completa do que o autor pretende ensinar, mesmo quando dividida em temas pelos capítulos. Possuem o preço mínimo de livro comum ou muitas vezes até mais caro por valorizarem o conteúdo disposto nele, e ao ter condições de pagá-lo e conferir por si mesmo, é bem provável valer a pena.

Esses livros podem ser baseados em pesquisa, sobre discussão técnica ou ainda do autor compartilhando da própria experiência. Apresentam os pontos defendidos por eles e alguns até discutem os possíveis argumentos contrários. Ao ler diferentes livros do tipo, é fácil perceber as divergências de ideias entre os autores, cabendo ao leitor refletir e seguir qual ideia lhe convence mais, ou ainda formular sua própria concepção a partir da leitura e aplicar na prática.

O ponto negativo? Sempre tem… Você consumirá o conteúdo compartilhado pelo autor sem interagir com ele. Terá nenhum acompanhamento enquanto lê o conteúdo por si, caso arranje um colega ou grupo e discuta as lições interpretadas no livro, ainda faltará a figura do profissional capaz de conduzir esse aprendizado da melhor maneira possível, isto sendo exclusivo apenas a certas opções do tópico a seguir.

Cursos onlines de escrita

Aqui o investimento é pesado, mesmo os mais baratos superam o preço dos livros técnicos. Alguns cursos disponibilizam apenas o conteúdo em vídeo, recortado em várias aulas com intenção de abordar os detalhes necessários conforme a proposta do instrutor. Muitos outros vão além dos vídeos, oferecendo material escrito complementar, pequenos testes — questões — sobre o conteúdo, acompanhamento do próprio instrutor caso tenha dúvidas, por vezes tem até um retorno sincero do professor quanto ao material escrito enquanto aprende no curso! Este último não chega a ser análise crítica completa, pelo menos dentre os vistos por mim, apenas garantem a análise de um fragmento da escrita, seja capítulo ou determinada quantidade de palavras.

A vantagem está na diversidade em atender o aluno e pelo próprio acompanhamento do instrutor. Lembra da análise crítica que eu submeti? Apesar de avaliar apenas parte do romance, o instrutor apontará a falha através do conteúdo apresentado em aula, então já terá a base a refletir nessa crítica profissional. Também possuirá o conhecimento necessário ao encomendar esta crítica completa depois de realizar o curso.

É preciso avaliar bem em qual curso investir. Considerando o valor bem acima das demais opções de aprendizado, ninguém deseja correr o risco de desperdiçar dinheiro. Busque conhecer bem o instrutor a ponto de identificar se os pontos fortes vão te atender. Pouco importa quando o professor for a melhor referência em romance de época caso pretenda escrever ficção científica futurista. Às vezes a forma abordada também não é a mais confortável a você, criando empecilho ao ponto principal: o aprendizado.

Qual das opções é a melhor para estudar escrita criativa?

A resposta é muito simples: confira todas! Aproveite tudo o que tiver condições de pagar e esforce rumo a obter o melhor do conteúdo disponível. Enquanto estudar, jamais deixe de manter a rotina de escrita. A melhor maneira de fixar o aprendizado é pela prática, além de o estudo já servir para aplicar o conhecimento em seu trabalho, conforme deveria acontecer em qualquer outra profissão. Aprenda em cada oportunidade ao alcance, espero que lhe ajude.

A Utilidade das Críticas Negativas

O objetivo das resenhas é de me motivar a compreender mais sobre os livros lidos. Entender porque eu gosto de determinadas passagens, as razões de eu achar determinada leitura maçante, aprender lições com os acertos e erros dos demais escritores e assim usar o conhecimento adquirido na minha escrita.

Ao longo das resenhas eu também fiquei mais exigente, relatando problemas encontrados até nos livros que gostei — a ponto de eu dar três estrelas na avaliação do Skoob e Amazon —, apesar de ter o cuidado de evitar esta crítica comprometer quando as qualidades do livro compensam o deslize. Então por que eu insisto em apontar essas pequenas falhas? Ou também: qual o sentido de dedicar tempo com leitura desagradável e ainda fazer questão de escrever as críticas negativas a ela? Respondo essas duas perguntas neste post, porém já adianto o motivo: incentivar a melhora da escrita.

Apenas elogios só atrapalham

Conheço canais de resenhas literárias dedicados a esbanjar elogios nos livros lidos. De qualidades diferentes, todos recebem a nota máxima e são idolatrados pela capacidade extraordinária do ficcionista. Respeito o espaço deles, possuem o direito de elogiar quem eles quiserem, e até ajuda a atrair leitores preconceituosos com livros brasileiros a conferirem esses trabalhos tão bem avaliados, por certo tempo. O problema desta abordagem acontece quando o leitor percebe que determinado canal só sabe falar bem e se decepciona com algum dos livros indicados, a reputação daquele trabalho entra em cheque junto com o de todo livro resenhado por ele depois da desilusão, prejudicando mesmo os bons autores.

Só tenho duas ressalvas: já encontrei resenhas positivas sobre livros que detestei, e nesses casos só houveram divergências entre a minha impressão e a do outro resenhista, algo comum de acontecer na análise de trabalho artístico; também há canais que deixam de postar quando a leitura for ruim, pois preferem apontar as falhas ao escritor em privado e poupá-lo de denegrir sua imagem evitando de publicar a crítica. Também discordo deste último caso, sou defensor de manter a transparência em muitos sentidos, entre eles o de demonstrar a verdadeira qualidade dos livros escritos pelos brasileiros. Ter a ciência de estar sujeito a apontamentos públicos quanto a qualidade da escrita exerce aquela “pressão saudável”, aumenta a disposição de melhorar o texto com intenção de garantir a melhor impressão dos leitores.

Ao discordar das atitudes desses colegas resenhistas, estou longe de afirmar ser contra eles. A opinião divergente faz eu agir de modo distinto, e como ainda vivemos num ambiente democrático, é possível coexistir essas diferenças de trabalho, atraindo perfis de público correspondentes à proposta do canal.

Críticas negativas feitas só por criticar também atrapalham

No outro extremo temos gente disposta a apenas falar mal. Não trabalham com resenhas, apenas são espontâneos quando detestam determinado livro e ignoram qualquer qualidade ainda disponível, insistem tanto a ponto de acusar quem gosta ter péssimo gosto. E a pessoa consegue se favorecer com este tipo de atitude? Infelizmente sim! Tal comportamento atrai a atenção de várias pessoas, podendo gerar discussão desnecessária, o que ainda assim corresponde ao bom engajamento nas redes sociais, por isso promove quem fala mal. Quando ganha atenção, esta pessoa transborda postagens e memes apenas com intuito de tirar sarro, gerar mais engajamento; é uma estratégia desonesta e fácil de executar, basta focar na quantidade e ignorar a qualidade da critica elaborada, depois é só promover o seu próprio material, pois conseguiu formar público.

Mesmo quando detesto alguma leitura, faço questão de procurar pelas qualidades do livro e mostrar os pontos fortes e fracos. Quando o livro é de brasileiro independente ou editora pequena, tem maior probabilidade do próprio autor conferir minha resenha, por isso aponto as falhas sem comprometê-lo, ou seja, as críticas negativas estão lá, só que dispostas como conselhos a melhorar, bem ao contrário de desprezar determinado trabalho só por eu encontrar falhas.

Avaliar os pontos fracos faz parte do resenhista. Reforço o dito no começo deste artigo, faço resenhas para aprender mais da escrita a partir do esforço alheio, e aprendo muito quando identifico erro nos grandes escritores, conforme até James Wood disse. A perfeição é um estado inalcançável, então todo livro está sujeito a ter pontos a melhorar. Caso o resenhista não encontre tais pontos, é porque este falha na análise, por outro lado o autor foi bom o bastante em superar a visão crítica do leitor, e levando em consideração ser mais fácil criticar do que escrever livros, esse autor possui um mérito e tanto. Confesso já cometer essa falha, nem é tão difícil encontrar resenhas minhas onde só existem elogios, basta ver os livros eleitos na lista dos melhores XPs Literários — minha meta é isso acontecer cada vez menos.

Quando a resenha é honesta, o leitor compreende as críticas negativas apontadas e as pondera com as qualidades citadas nesta e nas outras análises. Quando conhece o crítico, os livros elogiados por ele terão maior credibilidade ao leitor, pois foi mérito do autor dedicar tanto a ponto de superar os demais trabalhos analisados por aquele canal. Defendo esta abordagem sendo a mais justa aos leitores e escritores, além do cuidado de respeitar o esforço mesmo daqueles carentes de aprimorar a escrita, com intenção que de fato melhore!

Eu Fracassei no Wattpad

O Wattpad é uma plataforma com publicação de livros digitais e gratuitos. Qualquer usuário pode publicar sua história e ter a oportunidade de ganhar reconhecimento pela escrita. Com funções semelhantes a de redes sociais, as pessoas interagem entre si votando nas publicações do colega e comentando no livro dele.

Alguns autores começaram a compartilhar suas histórias através do site. Trocaram experiências de escrita, aprenderam e melhoraram a ponto de realizar a publicação profissional, seja independente ou até com editora. Wattpad é o ponto de partida a muitos nesta trilha com inúmeros desdobramentos, alguns autores ainda aproveitam a plataforma, outros a abandonam. Eu larguei o site antes de publicar qualquer livro como escritor profissional, e reconheço meu fracasso na plataforma, cujos motivos apresento agora.

A benção e a maldição da interação

Com as funções semelhantes a redes sociais, a interação entre escritores e leitores é a maior vantagem do Wattpad. Opinar sobre parágrafos específicos com opção de responder ao comentário possibilita boas conversas a partir de determinado ponto da história. Quem souber aproveitar a ferramenta consegue também proporcionar uma experiência diferente de quando publicado impresso ou em eBook. Fica ainda melhor com a quantidade massiva de leitores e escritores na plataforma, pois conhece todo tipo de pessoa e troca novas ideias com ela.

Um aspirante a escritor pode encontrar outro colega com objetivos e gostos em comum e acompanharem o trabalho um do outro. A troca de leituras favorece conversas sobre como melhorar determinado trecho do capítulo ou apontar determinados furos no enredo, tudo para ajudar o amigo. Possibilidade interessante, pena o problema começar daqui. Dependendo da companhia arranjada na plataforma, você obterá apenas elogios e críticas vazias, longe de a outra pessoa ser falsa, apenas tem pouca experiência, e o mesmo acontece contigo; ambos terão a falsa impressão de crescerem juntos.

Aconteceu isso comigo, entrei numa bolha onde parecia me levar ao ótimo caminho junto a meus amigos, e aos poucos nós quebramos a cara, um a um desistia da plataforma, até mesmo da escrita. Testei publicar alguns de meus textos tão elogiados no Wattpad em editais de outros sites, e eles foram recusados — com razão. Hoje eu sinto repulsa pelos textos escritos no passado, reconheci meus problemas de escrita depois de ficar fora da bolha, e isso é ótimo por saber o quanto preciso melhorar. É bom aos leitores também, pois pouparei de darem o azar de ler Crônicas de Cafeína, foi meu primeiro livro do Wattpad e tenho orgulho de começar por alguma história, daquele tempo quando confundia a conjugação dos verbos entre passado e presente, do meu pedantismo, sem apresentar conflitos na maior parte do enredo… Pelo menos as piadas eram legais.

Dedicação

Como a interação é o ponto principal da plataforma, o próximo motivo ainda será em torno dela. É muito difícil alguém postar no Wattpad e do nada conseguir inúmeros leitores, na maioria dos casos é preciso interagir no site. Quanto mais participa, mais é visto pelos outros usuários. Há quem tome atalhos e combina troca de seguidores e leituras apenas para conquistar números maiores, mas o sucesso no Wattpad exige além disso, é preciso demonstrar a dedicação com a sua história, atender os seus leitores e ajudar os colegas escritores — com aquelas ressalvas já citadas —, senão você ainda terá boa quantidade de leitura, só não atrairá as pessoas capazes de te ajudar a crescer tanto na escrita como na publicação profissional.

Tal dedicação necessita de muito tempo numa frequência constante, o que optei por aproveitá-lo em outra situação. Percebi a necessidade de melhorar a minha escrita antes de atrair novos leitores, usar o tempo que gastaria na plataforma para aprender, praticar e conhecer trabalhos de autores já publicados. Por esses motivos optei me dedicar a este blog no lugar do Wattpad. Aproveito o espaço livre no meu site a compartilhar o pouco do que aprendo como este e outros textos do XP de Escrita.

Fazer resenhas também me ajuda muito. Ao me dedicar com leitura mais crítica, esforcei a encontrar problemas nas escritas de escritores já experientes. Posso identificar tais erros e evitar de cometê-los nos meus próximos textos; mesmo em casos corretos, posso discordar da abordagem em certo livro e aproveitá-la de outra forma nos meus textos. Outra vantagem de usar o blog é de acompanhar o mercado editorial mais de perto através dos lançamentos resenhados e de conhecer os autores nacionais mais acessíveis, podendo trocar ideias com eles, de maior bagagem literária e olhar mais crítico.

O meu fracasso no Wattpad não é de fato um fracasso na vida de escritor. Encarei minha realidade e optei trilhar outro caminho, este muito útil a mim por enquanto. O site tem sua importância, possibilidades de favorecer boas carreiras e seduzir novos autores a compartilharem os primeiros rascunhos. Agora que soube da minha experiência, reflita se no seu caso ainda valerá a pena, talvez também precise tentar outras alternativas até reconhecer a melhor. Caso tenha o sonho de seguir na carreira de escritor, siga adiante e jamais desista nesta trilha árdua!

© 2020 XP Literário

Theme by Anders NorenUp ↑