Trabalhos feitos o analisado a seguir favorecem a profissionalização dos autores brasileiros e o respectivo conhecimento do mercado onde pretende atuar. Tendo poucas oportunidades de graduação, é preciso acompanhar as iniciativas de editores e escritores interessados em compartilhar o próprio aprendizado em diversos meios. Retratam a experiência particular de fatos ocorridos durante a carreira, indicam aprendizados das fontes das quais estudou, e oferecem a chance de conversar sobre o assunto diverso referente à escrita criativa. A Bíblia do Escritor é a iniciativa avaliada neste post, escrita por Alexandre Lobão e publicado através da editora Trampolim em 2017.

“Em literatura, entretenimento é sedução pela palavra escrita”

À exceção de determinados tópicos abordados por autores convidados, Alexandre Lobão coordena todo o conteúdo do livro a partir de aprendizado próprio. Formado em letras e autor entre livros de programação a ficção e roteiros, ele elabora os capítulos correspondente das fases da criação do livro e as etapas posteriores: desde a ideia, gestão e planejamento, escrita e revisão, publicação e estratégia de vendas. Tudo separado em subtemas a aprofundar os tópicos, também elabora seções com relatos da experiência, erros comuns de cometer pelos escritores em cada etapa do projeto, e proposta de exercícios a cada fim de capítulo, servindo de roteiro a quem interessar de seguir as regras do autor.

“[…] a escrita de um romance envolve duas partes distintas: a arte de imaginar histórias e a técnica para transcrevê-las”

A estrutura do livro comentada na seção anterior oferece a ideia de haver muito conteúdo neste livro, e de fato tem. Alexandre detalha várias etapas de cada fase do projeto, assim mesmo quando o leitor deseja saber algo específico, é bem provável de encontrar a visão do autor quanto àquilo. Há várias maneiras de usar este livro, seja em busca de tópicos específicos, de seguir o livro como roteiro de projeto, ou acompanhar a trilha deste autor capaz de produzir vários trabalhos de ficção e técnicos.

Outro uso deste livro merece este parágrafo aparte por ser essencial: analisar A Bíblia do Escritor como uma fonte sobre a escrita criativa. Ao dizer uma, significa de o leitor selecionar outras leituras do assunto. Pelo conteúdo ser baseado nas experiências do autor, é melhor conferir visões complementares ou diferentes desta pessoa ― além a dos autores convidados deste livro ―, por ser diferente d’A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil que oferece a opinião de vários autores sobre os temas ou mesmo dos livros de escrita criativa de abordagem técnica, de conteúdo feito a partir de conceitos ou da crítica literária, esses capazes de transcender opiniões de quem escreve. O próprio autor recomenda outras obras ao final, algumas já resenhadas aqui: Para Ler Como um Escritor e Como Funciona a Ficção.

A versão em ebook lida no momento ao realizar esta resenha apresenta problemas de diagramação e na revisão ortográfica. Os erros textuais incomodam pela quantidade, quebram o ritmo de leitura; já os de diagramação atrapalham a fluidez ao acompanhar os tópicos, pois falta a devida quebra de seção, os tópicos ficam soltos após o fim do conteúdo anterior, até atrapalha o leitor de ver a dimensão do conteúdo do próximo tópico, pois o e-reader aponta a parte como concluída em vez de avisar quanto tempo leva de leitura, algo descrito apenas ao avançar a tela do texto. São tópicos inclusive citados no conteúdo do livro, e faltou dar o devido exemplo na própria obra.

“As ideias não precisam ser originais, mas a sua abordagem sobre o tema sim”

A Bíblia do Escritor colabora pelo conteúdo abrangente sobre a escrita e mercado editorial brasileiro, além de especificar os detalhes de cada assunto proposto, e assim oferece respostas a questões pontuais de determinado leitor. A leitura será melhor aproveitada quando acompanhada de outros livros de escrita, abrangendo visões distintas dentre os tópicos abordados em comum. Precisaria de um novo processo de edição da versão em ebook no intuito de ajustar a diagramação e a revisão textual, podendo assim demonstrar na prática o recomendado no conteúdo do livro.

“Não espere ter a história completamente escrita na cabeça antes de escrever!”

A Bíblia do Escritor - capaAutor: Alexandre Lobão
Editora: Trampolim
Ano de publicação: 2017
Gênero: não-ficção / escrita criativa
Quantidade de Páginas: 432

Compre o livro

Comentários