Suicídio é uma das maiores causas de mortes entre adolescentes, embora esses não sejam as únicas vítimas. Poucas histórias tratam deste assunto de maneira adequada, e por isso merecem destaque para que deixe de ser tabu.

Parte do valor pago na compra desta obra é enviada a organização CVV, a principal no Brasil quanto a prevenção do suicídio. Motivos não faltam para adquirir este livro, ainda assim pretendo contribuir oferecendo outro através desta resenha.

Depois do Azul foi publicado em 2017 no Brasil pela Plataforma 21 em parceria com o CVV. Com narrações intercaladas em primeira e terceira pessoas; bem como alternadas de prosas, diários e cartas.

Depois do Azul - capa

Élaine Turgeon é a autora canadense premiada em vários concursos através desta obra, como: Alvine-Bélisle, Prêmio da Biblioteca de Montréal de Literatura Infantil e Juvenil, Lista Communication-Jeunesse de livros preferidos das crianças e jovens.

Cômodos estavam preenchidos da ausência de Geneviève

A história se trata de uma família qualquer, cujo casal possui duas filhas gêmeas. Infelizmente esta família comum desaba após a perda da filha Geneviève, após um mergulho na piscina esportiva onde decidiu nunca mais sair.

A irmã Lou-Anne compartilha suas frustrações em perder sua gêmea no seu diário. Além de lidar com a perda, ela tem o desafio de encarar olhares tenebrosos por ser idêntica a Geneviève. Ao mesmo tempo ela deve prosseguir em sua vida, a morte da irmã lhe persegue como se Lou-Anne existisse apenas pela metade.

Os pais das gêmeas reagem de jeitos diferentes. Não se fala como a morte os afetou, e sim demonstra seus comportamentos. Atitudes os deixam fugir de comentar sobre a tragédia e de seu futuro. Ficam isolados sob o próprio sofrimento.

Sino quebrado que não para de bater na cabeça

O livro foca na consequência do suicídio na família de Geneviève. É uma história curta, mas entrega a mensagem sobre a tristeza a quem permanecem após o ato.

Se o leitor esperar mais do que isso, ficará decepcionado. Não há profundidade nos capítulos desta família além das consequências da perda. Aborda o suicídio, nada a mais, e cumpre com o seu objetivo.

Quem já passou por uma situação parecida sabe como realmente é. Entretanto Depois do Azul é capaz de oferecer uma demonstração da angústia que uma perda repentina pode trazer.

Ótima referência a quem deseja se informar sobre o assunto a partir da ficção. Após conhecer o sofrimento posterior de uma família, convido a todo leitor repensar na hora de falar alguma bobagem quanto ao suicídio, bem como procurar saber mais através de informações úteis divulgadas pelo próprio Centro de Valorização da Vida.

 

Comentários