Tão habituado pelos diálogos e enredo apresentado por palavras, descobri em Unravel um jogo que se apega ao visual e a trilha sonora, únicos recursos usados e suficientes para conectar o jogador com as ideias dos criadores.

Lançado no começo de 2016, Unravel é um jogo side-scrolling com muitos enigmas que desafiam o jogador a percorrer o cenário. Desenvolvido pela empresa sueca Coldwood Studio.

Unravel - título

A história antes da história

A ideia surgiu quando o diretor Martin Sahlin estava acampando com a família ao norte da Escandinávia. O local era isolado, de poucos moradores e cheio de paisagens naturais.

Uma das atividades descontraídas de Sahlin foi construir um boneco bastante simples. Fez sua estrutura com arames, pegou emprestado uma lã vermelha e enlaçou até preencher o corpo. Assim nasceu o protagonista Yarny.

Protagonista Yarny construído de verdade

Com o boneco em mãos, Sahlin imaginou como Yarny percorreria o cenário ao seu redor. Pensou em como arremessar o próprio fio de lã para alcançar lugares mais altos como se fosse um arpéu, ou fazer nó entre dois lugares altos e assim criar uma ponte de lã. Essas ideias foram levadas ao estúdio e implementadas no jogo.

Yarn é como o amor: quanto mais nos distanciamos, menor ele fica

O jogo é dividido em fases, todas com um objetivo simples: restaurar as memórias da família na casa da idosa onde Yarny existe. Controlamos o boneco que sempre segue em frente (olha para o lado…) e deixa um rastro de lã do próprio corpo que é dissolvido conforme anda. Parte do desafio é coletar fios de lã no cenário para restaurar seu corpo e assim prosseguir pelo cenário.

Conforme se avança na fase, imagens das lembranças da família surgem no fundo, até alcançar um broche feito de lã no final.

Fim de fase

Cada fase concluída restaura as fotos do álbum da senhora dona da casa, com uma breve descrição daquelas lembranças – único momento em que há palavras no jogo. Ou seja, Yarny se torna o laço que reúne o vínculo familiar da humilde senhorinha.

Todo o ambiente é deslumbrante. É feito para ser admirado enquanto tentamos avançar no jogo. Os objetos disponíveis servem tanto para nos ajudar como atrapalhar. Todo animal é uma ameaça fatal ao boneco de lã, sendo preciso fugir dessas criaturas que destroem o brinquedo assim que o toca.

Ponte de maçãs

A música é uma peça que encaixa perfeitamente na bela obra que é este jogo. É o que nos imerge a este ambiente humilde e selvagem. Se ficar frustrado quando não conseguir passar de algum enigma, feche os olhos e permite a música entrar na cabeça. Valerá a pena.

As movimentações simples de Yarny surpreendem pela sua capacidade de se expressar. Muito do que ele vê pelo cenário é novidade, ele procura interagir com uma inocência de criança. O jogador fica assustado junto com o protagonista quando algo surge do nada na fase, sofre quando vê o bonequinho sofrendo pela péssima jogada ou pelo frio extremo da fase. Os produtores deviam ter avisado que o final do game vinha acompanhado pelos ninjas cortadores de cebolas; meus olhos suaram bastante.

</3

“Desenvolver este jogo foi uma jornada sem igual” – equipe da Coldwood

Um jogo curto. Provoca uma experiência singular ao jogador. E que vai contra a maré de títulos com enredo cada vez mais complexo.

Recomendo Unravel àqueles interessados em relaxar com um jogo de mecânicas simples. Só tenham em mente que vão acabar emocionados pela beleza dos cenários e simplicidade do protagonista.

 

*imagens retiradas durante o gameplay ou no site oficial


Links Externos

Página oficial do game

Trilha sonora oficial no Spotify

Comentários